Como Afinar o Violão: Guia Completo de Afinação

Um dos maiores obstáculos que encontrei ao começar a tocar foi o fato de não saber afinar o violão.

Tentava e tentava, muitas vezes estourando cordas por passar demais do ponto sem perceber. O jeito era contar com amigos mais experientes. Mas e quando não há nenhum por perto?

Tocar com o instrumento desafinado é um pesadelo tanto para o músico iniciante quanto para quem está por perto, não é mesmo?

E você? Está passando por essa dificuldade também? Se sim, seus problemas acabaram, pequeno gafanhoto: preparamos o guia definitivo de como afinar o violão.

Ao final deste manual, você saberá exatamente como deixar seu violão soando feito um coral de anjos.

Vamos juntos desvendar os mistérios da afinação?

Por que é preciso afinar o violão constantemente

Em primeiro lugar, todo e qualquer instrumento de cordas depende da afinação. Do violão ao piano, todos eles vez ou outra precisam passar pelo processo.

Isso acontece porque as notas são retiradas do instrumento graças à tensão das cordas.

Se a corda estiver esticada demais, soará mais aguda que o esperado; se estiver frouxa, soará mais grave.

Em todo caso, mais aguda ou mais grave, a nota estará errada, e não queremos isso.

Instrumentos que não possuem travas nas cordas, como é o caso do nosso, ficam sujeitos a vários elementos que provocam a desafinação.

São exemplos a mudança do clima, o modo e posição de guarda-lo, a qualidade e estado das tarraxas e, claro, o próprio uso.

É por isso que é preciso afinar o violão sempre, mas um piano quase nunca.

Porém deixemos de lado outros instrumentos e nos concentremos no nosso amigão do peito.

Conhecendo as cordas

A sonoridade do violão é formada pela soma dos sons de suas seis cordas. Sim, eu sei que você já sabe disso…

O que talvez você não saiba é que há vários padrões de afinação, os quais alteram totalmente a forma de montar os acordes.

No entanto, nosso objetivo será trabalhar com um único modo de afinar o violão, o mais utilizado por músicos do mundo inteiro.

Faremos isso porque todo diagrama de acordes com os quais você vai lidar depende dessa afinação.

Ela é conhecida como afinação padrão ou EADGBe. A disposição é esta:

  • 1ª corda, a mais aguda, soa como Mi (E4) na frequência de 330 Hz;
  • 2ª corda soa como Si (B3) na frequência de 247 Hz;
  • 3ª corda soa como Sol (G3) na frequência de 196 Hz;
  • 4ª corda soa como Ré (D3) na frequência de 146 Hz;
  • 5ª corda soa como Lá (A2) na frequência de 110 Hz;
  • 6ª corda, a mais grave, soa como Mi (E2) na frequência de 82 Hz.

Você reparou que, na hora de enumerar as cordas, a ordem fica invertida daquela que temos com o instrumento no colo?

Pois é… Mas é isso mesmo: a primeira corda de um violão é a mais fina e, automaticamente, a última é a mais grossa.

E que números são esses colocados junto com a letra da nota?

Essa é fácil: tratam-se de referências às oitavas, afinal toda nota Lá é sempre uma nota Lá, mas ela pode variar em oitavas. E eu explico:

O piano possui um padrão que se repete continuamente: teclas brancas sendo as notas da escala maior de Dó, teclas pretas sendo os “acidentes musicais”.

No entanto, embora sejam a mesma nota, a primeira tecla Dó do piano soa diferente da última: uma bem grave, outra totalmente aguda.

Quer fazer uma experiência? Pegue seu violão e toque uma escala maior de Dó. Quando você atingir a sétima nota da escala, ou seja, o Si, a próxima nota será um novo Dó, porém mais agudo.

Com isso, esse Dó mais agudo é a oitava nota da escala de Dó, uma oitava acima, afinal a escala avançou, “cresceu”.

Se você descer deste Dó agudo novamente para o Dó mais grave, você terá atingido uma oitava abaixo, já que a escala “diminuiu”.

Veja a progressão:

Dó Ré Mi Fá Sol Lá Si e, novamente, Dó Ré Mi Fá Sol Lá Si, e assim sucessivamente.

Simples, não?

Sabendo o que são as oitavas, podemos descobrir que o número depois da nota avisa qual oitava devemos considerar.

Se a corda Mi é um E2, logo ela será o segundo Mi da escala de um piano. Combinado?

E agora que já sabemos a teoria por trás de tudo, vamos conhecer vários métodos para fazer a afinação. Você ficará craque rapidinho.

Afinar o violão com ajuda de aparelhos eletrônicos

O afinador portátil

Uma excelente opção para afinar o violão em ambientes barulhentos ou quando ainda não temos prática para fazê-lo sozinhos é o afinador portátil. Trata-se de um pequeno aparelhinho alimentado por bateria.

Afinador de violão portátil

Ele fixa-se à mão do violão (também conhecida como headstock) e capta as vibrações na madeira.

Com elas, é capaz de avisar por display ou LEDs se estamos perto da frequência perfeita, se passamos ou se ainda falta um pouquinho.

O portal de compras Zoom preparou uma lista das melhores opções de afinadores portáteis para você.

Se ficou interessado nesta opção, passe lá e escolha o seu.

Ah, uma informação bacana: existem no mercado opções de capotrastes com afinador embutido.

Essa dica é excelente para você que quer gastar menos e unir o útil ao agradável. Com um desses, você poderá tanto afinar o violão quanto transpor o tom do instrumento.

Captadores com afinador

Se você possui um violão elétrico ou eletroacústico, provavelmente seu captador já possua um afinador interno.

Para utilizá-lo, basta pressionar o botão “Tuner” e conferir na telinha do equalizador.

afinação do violãoFonte: Designed by Jcomp

Ele funciona baseando-se na vibração recebida pela ponte do instrumento e só difere do portátil pela alimentação com bateria de 9V.

Obviamente o nome da função pode variar de um fabricante para outro, utilizando “Notes” ou outro termo.

Porém, caso esteja em dúvida, basta consultar o manual do captador ou site do fabricante para encontrar o modo correto de utilizá-lo.

Afinando com pedaleiras ou amplificadores

Tanto violões quanto guitarras podem ter sua amplificação trabalhada com o uso de pedaleiras.

afinar com pedaleira

Elas servem para equalizar mais profundamente o som das notas, bem como para acrescentar efeitos como “Chorus” e “Delay”.

O grande Zakk Wylde é um entusiasta de efeitos em violões, e você pode conferir o resultado da experiência em seus shows solo.

No caso de amplificadores, alguns cubos para violão, guitarra ou baixo já possuem o afinador em seu painel de equalização.

É importante lembrar que, assim como nos captadores, a função de afinação depende do modelo do dispositivo.

Desse modo, para evitar complicações, lembre-se de dar aquela olhadinha no manual ou site da marca.

Aplicativos para celular

Hoje em dia todo mundo anda com o celular, certo? Por isso, apresento a alternativa eletrônica que não te custará absolutamente nada e estará sempre ao alcance: aplicativos afinadores para celular.

Um app “Tuner” nada mais é do que um afinador como todos os outros, porém não “sente” as vibrações pelo corpo do instrumento, mas pelo microfone do celular.

Você aciona a corda próximo ao aparelho, e o aplicativo se encarrega de apontar seu progresso na tarefa.

É importante lembrar que ele não funciona bem em ambientes barulhentos ou em violões elétricos sem corpo de ressonância.

Além de, claro, depender da bateria do celular, o que pode tornar-se um problema em apresentações longas.

Separamos aqui duas opções gratuitas de “Tuners”, uma para iOS e outra para Android. Temos certeza que você irá gostar de afinar o violão com eles.

Afinar o violão de ouvido

Este provavelmente seja o motivo de você estar aqui. Aparelhos e aplicativos nos ajudam em muitas ocasiões, mas é sempre bom estarmos preparados para tudo.

Não é mesmo? Uma falha, esgotamento de bateria ou qualquer surpresa pode nos colocar em apuros.

Embora seja muito mais difícil conseguir exatidão ao afinar o violão sem ajuda eletrônica, não é tarefa impossível.

Basta dedicar treino e atenção.

Vamos juntos conferir as melhores técnicas para afinar o violão de ouvido, como nos velhos tempos.

O bom e velho diapasão

Você talvez não o conheça, mas o diapasão foi o grande salvador dos iniciantes, no passado.

Como é barato, prático e confiável, entra no hall dos gladiadores da afinação de ouvido com ajuda de um objeto.

Há três formas principais de diapasão, e falaremos sobre todas:

Diapasão de garfo

A forma mais clássica deste instrumento de suporte consiste num garfo de metal que, depois de algum impacto, vibra uma nota .

como afinar o violão com diapasão de garfo

O músico, então, posiciona o dispositivo perto do ouvido e, com base no som, afina a quinta corda do violão.

“Mas e como eu vou afinar as outras cinco cordas?” — você poderia me perguntar. Porém isto ficará para os próximos métodos, então continue acompanhando.

Diapasão de sopro simples

O diapasão de sopro simples consiste num tipo de “apito” que, ao ser soprado, emite a nota Lá na exata mesma oitava do violão.

Diapasão de sopro para afinação

Uma vez soando, basta acompanhar o som e apertar ou afrouxar a tarraxa.

O grande truque é afrouxar a corda e, enquanto soprar o instrumento de apoio, apertar a corda.

Com prática vem a perfeição, e a afinação da corda ficará simplesmente perfeita!

Assim como no diapasão de garfo, afina-se somente a corda .

Diapasão de sopro de seis notas

Você já deve estar imaginando, mas a principal diferença entre o modelo anterior e este é que o diapasão de seis notas possui seis “apitinhos”, dando aquele spoiler do som de todas as cordas.

Afinador de Sopro

Isso torna o trabalho de afinar o violão muito rápido e prático mesmo para quem não tem tanta experiência.

Com um desses será moleza deixar a afinação perfeita.

Utilizando outros instrumentos

Como já sabemos, uma nota sempre soará igual independentemente do instrumento musical utilizado.

Isso acontece justamente porque a frequência é única.

O único ponto de atenção que devemos ter é qual oitava considerar, afinal não queremos estourar nenhuma corda buscando a oitava errada. Tudo bem?

Assim, como já dito anteriormente, podemos perfeitamente usar um piano para afinar o violão, contando que esse esteja afinado. O mesmo vale para teclados elétricos com a vantagem de estes dificilmente desafinarem.

Mas veja que genial: não precisa ser apenas um piano ou teclado.

Qualquer instrumento afinado ou aqueles que dificilmente desafinam podem servir de guia para a afinação do nosso violão.

São exemplos de instrumentos que não desafinam facilmente as gaitas, as flautas, o acordeão, etc.

Apenas nunca se esqueça de considerar as oitavas, ok?

Celular, tablet e computador

Novamente vemos aqui a mágica da tecnologia em nosso favor. Celulares, tablets e computadores podem nos auxiliar a afinar o violão ainda que não tenham aplicativos de “Tune” instalados.

E vamos entender.

Suponhamos que o seu celular descarregou, e você perdeu acesso ao app. Isso pode ser motivo de susto, mas não deveria.

Se acontecer, você pode utilizar um vídeo ou uma música do celular de um amigo como guia.

Há dúzias de materiais com título “afinar o violão”, “afinador online” ou “virtual tuner” no Youtube.

E sobre músicas, sabia que o primeiro som da guitarra de “American Jesus”, do Bad Religion, e “The Unforgiven”, do Metallica soa um perfeito para afinar a corda?

Sabia que “Nothing else matters”, também do Metallica, entrega um Mi perfeito para a 6ª corda?

Aquele famoso “decoreba”

De todos os métodos apresentados, este, com certeza, é o mais difícil e menos preciso de todos.

É de se imaginar que consista em decorar o som de pelo menos uma nota e, com base nela, afinar o violão todo. E isso resume tudo.

Apesar do tempo e esforço em questão, vale a pena tentar: você irá decorar o som da nota e, enquanto reproduz com sua própria voz, afinará a corda correspondente, como se fosse um diapasão humano.

Bacana, não é mesmo?

Pode parecer que estou trollando, mas não: nós temos a capacidade de decorar um som e reproduzi-lo praticamente igual ao que é na realidade.

Mas tem um macete: pegue uma música que ama e decore a tonalidade. Pronto! Simples assim! No meu caso, utilizei “Don’t take your guns to town”, do Johnny Cash. Voilá!

Descubra sua música, ouça até enjoar e, naturalmente, você decorará. Não é fácil, porém tampouco é impossível. E vale muito a pena.

A quinta casa da corda anterior

O momento mais aguardado finalmente chegou. Juro!

Vamos, agora, aprender como afinar o violão todinho com base em uma única corda afinada — a , por exemplo.

Esse método servirá tanto para o diapasão de garfo, diapasão de sopro simples quanto para o dito “decoreba” de uma única nota.

Quando encontramos o primeiro caminho para afinar o violão de ouvido, o restante do percurso torna-se bem mais fácil.

Basta aprender a reproduzir o trabalho nas demais. Uma série de truques torna-se o grande divisor de águas aqui.

O primeiro truque é utilizar a quinta casa da corda anterior, uma vez que:

  • a quinta casa da corda Mi (E) soa um Lá (A);
  • a quinta casa da corda Lá (A) soa um Ré (D);
  • a quinta casa da corda Ré (D) soa um Sol (G);
  • a quinta casa da Si (B) soa um Mi (E).

A única exceção ocorre na corda Sol (G), que soa um Dó (C) na quinta casa. Isso acontece por questões matemáticas. Para solucionarmos, afinamos a corda Si (B) com a quarta casa da corda Sol (G).

Como quando utilizamos o diapasão, vale muito a pena afrouxar a corda que pretendemos afinar e, soando a anterior em sua quinta casa (ou quarta, no caso de Si), copiamos o som para a seguinte.

O processo é simples e rápido, mas requer persistência e atenção. Se uma das cordas estiver desafinada, o erro será copiado para a próxima.

Por isso é importante nunca passar para outra antes de ter certeza da qualidade da afinação da presente.

Afinal, não há nada pior que afinar o violão inteirinho e descobrir que não deu certo, não é?

Utilizando a corda Lá (A) para afinar o violão inteiro

Este método é parecido com o anterior, entretanto tem uma vantagem: se errarmos em uma das cordas, não comprometemos toda a afinação. Com isso, é mais fácil corrigir um erro ao testar acordes.

Para utilizá-lo, basta afinar com a maior perfeição possível a corda Lá (A) usando um dos métodos anteriores.

Feito isso, o próximo passo é utilizar as notas na corda Lá para afinar as outras. Veja:

  • a sétima casa da corda Lá (A) soa um Mi (E) oitavado, e pode nos guiar na afinação da 6ª corda;
  • a quinta casa soa um Ré (D), som exato da 4ª corda solta;
  • a décima casa soa um Sol (G), som exato da 3ª corda solta;
  • a décima quarta casa soa um Si (B), som exato da 2ª corda solta;
  • a décima nona casa soa outro Mi (E), mas na exata oitava da 1ª corda

Como vemos, é possível utilizar notas em outras oitavas, como no caso da 6ª corda do exemplo.

Nela, o som era uma oitava acima do que pretendíamos. Isso também funciona se adotarmos o seguinte:

  • a sétima casa da Lá (A) para afinar as duas cordas Mi (E), a e a ;
  • a segunda casa da Lá (A) para afinar a corda Si (B), a .

Porém, a sugestão de utilizar casas do fim da escala busca evitar confusão quanto à oitava.

Como já dito antes, se buscarmos atingir uma oitava errada por engano ao afinar o violão, corremos o risco de estourar uma corda.

Dica monstro

Se estiver com dificuldade na afinação da 6ª corda, lembre-se:

A décima segunda casa da corda Mi soa exatamente como a sétima casa da corda Lá.

Afinando com harmônicos

Outra alternativa, muito utilizada em apresentações, é aproveitar os harmônicos para afinar o violão.

Este procedimento busca evitar que o público se incomode durante a afinação.

Antes do método, harmônicos são sons especiais produzidos pelo violão com timbre totalmente diferente dos originais.

Eles lembram o som de um xilofone. Ocorrem naturalmente nas casas 5, 7 e 12 de todas as cordas.

São ferramenta maravilhosa tanto para afinar o violão quanto para dar beleza aos arranjos musicais.

Para afinarmos usando os harmônicos, utilizaremos os harmônicos da quinta casa e sétima casa de cada corda.

É importante que uma das cordas mais graves já esteja devidamente afinada.

Como fazer

Tendo uma corda já afinada, posicionaremos o dedo indicador sobre o seu quinto traste sem fazer pressão e a tocaremos normalmente.

É importante que o dedo esteja perfeitamente em cima do traste e que não haja pressão, apenas o toque.

Em seguida, utilizando o anelar ou o dedo mindinho, faremos o mesmo na próxima corda, porém produzindo o harmônico na sétima casa. Dessa forma:

  • para afinar a corda Lá (A), por exemplo, com base na corda Mi (A), utilizaremos o harmônico da 5ª casa de Mi e o da 7ª casa de Lá;
  • para afinar a corda Ré (D) com base na corda Lá (A), utilizaremos o harmônico da 5ª casa de Lá e o da 7ª casa de Ré;
  • para afinar a corda Sol (G) com base na corda Ré (D), utilizaremos o harmônico da 5ª casa de Ré e o da 7ª casa de Sol.
  • Para afinar a corda Mi (e) com base na corda Si (B), utilizamos o harmônica da 5ª casa de Si e o da 7ª casa de Mi.

Repare: sempre utilizamos o harmônico da 5ª casa da corda já afinada e o da 7ª da corda que pretendemos afinar. Não se esqueça disso, tudo bem?

Fazendo dessa forma, a corda estará afinada quando o harmônico produzido for igual nas duas.

Quanto mais idênticos, melhor a afinação.

A única exceção será entre as cordas Sol e Si, nas que os harmônicos não soarão iguais. Neste caso, afine a corda Si tentando equilibrar os dois harmônicos e, para ter certeza que acertou, confira com a quarta casa de Sol pressionada.

As dificuldades desse método são a dependência da corda anterior, como na afinação pela quinta casa, e a necessidade de silêncio, quando não há amplificação. No mais, trata-se de um método com precisão enorme.

Maiores obstáculos para iniciantes

Além de conhecer os métodos, é importante também descobrir quais são as maiores dificuldades de um iniciante ao afinar o violão de ouvido.

Se chegou até aqui, você já economizou horas e horas de frustração ao praticar. Então aproveite e siga até o final.

Variações de timbre

Por mais que usemos o mesmo encordoamento, os timbres das cordas podem variar. Isso acontecerá especialmente se elas já estiverem gastas.

E vamos combinar que nós usamos o mesmo encordoamento até não dar mais, verdade? Por isso, essas variações do timbre da mesma nota em cordas diferentes podem nos atrapalhar na hora de afinar o violão.

Nossa atenção deve estar principalmente nas seguintes cordas:

  • Ré (D), Sol (G) e Mi (e), quando estivermos usando cordas de nylon;
  • Mi (E), Ré (D) e Si (B), quando estivermos usando cordas de aço.

Encordoamento novo

As primeiras horas após trocar as cordas são um pesadelo para quem ainda está aprendendo a afinar o violão. Isso porque as cordas e o instrumento precisam chegar a um acordo.

Existem alguns métodos para encurtar o tempo que as cordas levam para se assentar.

Mas cuidado: além de correr o risco de quebrar uma delas, você também pode diminuir sua vida útil se forçar demais.

Infelizmente, o ideal mesmo é ter paciência e ser perseverante. Lembre-se do que o Sr. Wayne nos ensinou, certo?

Por isso, ao trocar as cordas, toque bastante e reveja a afinação de tempos em tempos. Isso funcionará muito bem como treino, afinal afinar o violão dá bastante XP.

Violão sempre perdendo a afinação

Principalmente em instrumentos muito usados, pode acontecer de uma corda desafinar constantemente, até mesmo no tempo de uma música.

Quando isso acontece, temos um sinal de que talvez nosso violão já esteja precisando de um transplante de órgãos.

Sejamos justos: seu violão é um berseker. Ele suporta toda a força que as cordas fazem contra ele. Todo esse esforço, com o tempo, danifica os componentes.

Caso esteja enfrentando desafinação muito frequente, verifique o estado de saúde das tarraxas. Rodas dentadas ou roscas provavelmente estarão gastas. Vai por mim…

Ah: e lembre-se sempre de, quando trocar as cordas, ser generoso na quantidade de corda que sobra no poste. Se houver pouca sobra, fica mais fácil desafinar.

Agora, com esse exército de técnicas, truques e indicações, basta colocar o bebê no colo e começar a treinar.

Como diz o ditado: “a prática leva à perfeição”. E, quando experimentar os métodos, lembre-se de voltar aqui e nos contar como foi afinar o violão usando nossos conselhos.

Comente, compartilhe com seus amigos e, claro, não se esqueça de assinar nossa newsletter para receber mais matérias cheia de curiosidades e dicas.

Aqui, com a gente, você aprende violão de verdade.

Esperamos você por aqui mais vezes. Hasta la vista!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *