Aprendendo os Acordes de Violão

Agora, chegou a hora de avançar para o estudo dos acordes de violão.

Eles são responsáveis pela harmonia da música, o tapete pelo qual a melodia caminha.

E, embora pareça ser preciso decorar um bocado deles, a verdade é outra: acordes de violão possuem toda uma ciência por trás.

Assim, para que você se torne um mestre da música, venha conosco entender os acordes de violão, seu papel e as formações básicas.

Bora lá, pequeno ganhafoto!

O que são acordes de violão

Cada uma das casas do violão soa uma nota, não é mesmo?

E, sendo um instrumento com seis cordas, é natural que precisemos formar certas estruturas com a mão.

Sem isso, sons que não deveriam estar ali apareceriam, fazendo o resultado algo feio. Essas estruturas são os acordes.

Acordes de violão possuem uma fôrma ou formato, que costumamos memorizar.

Essas fôrmas normalmente aparecem em diagramas nas revistinhas e sites de cifras ao final da transcrição.

Um braço de violão é desenhado e, nele, apontam-se quais casas iremos pressionar e quais cordas tocar.

Exemplo de diagrama de acordes
Modelo de diagrama de acordes de violão

Porém, quando lidamos com músicas mais complicadas, aparecem alguns acordes um tanto assustadores para os iniciantes.

Imagine um Si menor com baixo em Lá (Bm/A) ou um Fá sustenido menor com quarta (F#m4).

Como decorar tantas variações, não é?

Acontece que, ainda que precisemos decorar alguns, tudo fica mais fácil quando aprendemos a fabricá-los.

E, melhor ainda, quando descobrimos a transposição de uma das fôrmas com ajuda da pestana. E esses serão os temas que veremos a seguir.

Construção dos acordes de violão

Cada um dos acordes de violão é, no mínimo, uma tríade, a união de três notas que se relacionam de modo harmônico.

Você poderá ter uma explicação magnífica dos intervalos que formam as tríades lendo nosso guia definitivo de escalas e nossa aula sobre campo harmônico.

Por isso, confira cada um deles e acabe com qualquer dúvida.

Agora que já sabemos das tríades e escalas, não ficamos mais presos aos diagramas, verdade?

Isso porque, com um pedaço de papel e conhecimento sobre as cordas, podemos montar qualquer acorde possível e imaginável sem muito esforço.

Só não deixe de estudar nossos guias para não ficar boiando no assunto, tudo bem?

Principais fôrmas e transposição

“Mas, professor, não tem um jeito simples de conseguir tocar os principais acordes de violão?”

A resposta é: sim, existe um modo bem simples.

Nele, basta decorar quatro fôrmas, duas de acordes de violão maiores, duas de acordes menores. Veja só:

Temos, aqui, as fôrmas dos acordes Mi (E) e Lá (A) maiores, e dos acordes Mi menor (Em) e Lá menor (Am):

Acordes de violão - Mi, Mi menor, Lá e Lá Menor

Reparou que, entre a forma maior e menor, há uma variação bem pequena?

O grande truque é acostumar-se a utilizar sempre os dedos médio, anelar e mindinho. Isso facilita a transição.

Agora que memorizamos as quatro, precisamos notar o seguinte: em todos os casos, podemos tocar os acordes com as demais cordas soltas.

Isso porque a pestana do violão está garantindo que os sons das cordas soltas funcionem no nosso acorde.

Porém, se quisermos mover a fôrma para baixo no braço, fabricando novos acordes de violão, precisamos fazer nós mesmos uma pestana.

Por isso sugeri que deixasse o indicador livre, reparou?

Essa pestana consiste em pressionar todas as cordas necessárias com o dedo indicador.

Manter boa posição do polegar nas costas do braço ajudará a gerar a força necessária. Com nossa pestana, basta reproduzirmos as fôrmas já conhecidas e teremos novos acordes.

Fazendo pestana na primeira casa e reproduzindo o Mi maior logo abaixo, teremos um Fá (F).

Se o fizermos na terceira casa, teremos um Sol (G). Na quinta, um Lá (A) com a forma de Mi.

Utilizando a fôrma de Lá (A) com a pestana na segunda casa, temos um Si (B). Na terceira, temos um Dó (C). E, na quinta casa, um Ré (D).

O mesmo vale para as fôrmas menores.

Notou que temos todas as principais notas maiores e menores com apenas quatro fôrmas? Não é mais simples que decorar várias outras?

Aprendendo novas fôrmas

 Com a técnica de transposição das fôrmas de Mi e Lá, você já poderá tocar a grande maioria das músicas.

Porém, assim que você já tiver naturalmente gravado os acordes dessa forma, pode e deve tentar aprender outras fôrmas de cordas soltas.

Elas também podem ser transpostas, gerando novos acordes — embora seja mais difícil fazer as pestanas. Veja só:

Acordes Dó, Ré e Sol

Quando estiver bastante confortável com as diversas fôrmas, bastará aprender as variações principais.

Sétimas, quartas, nonas ficarão muito mais fáceis de memorizar.

Genial, não é verdade? Então, se gostou de nossa dica monstro, não esqueça de compartilhar com seus amigos nas redes sociais.

E, para estimular nosso trabalho, lembre-se de comentar com o que mais gostou ou até com alguma dúvida que tenha surgido.

Você, com certeza, é nosso melhor aluno. Por isso, esteja sempre conosco!

Grande abraço, futuro mestre do violão!

You May Also Like

About the Author: Redação Dicas de Violão

O Dicas de Violão é dedicado a trazer conteúdo exclusivo sobre Violão. Aprenda a tocar e fique atualizado sobre as principais informações!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *