Como usar o metrônomo: dicas para todos os níveis

Metrônomo

Embora pouco dito, usar o metrônomo pode ser excelente para todos os níveis de violonistas. Do iniciante ao profissional, todo mundo pode se beneficiar dessa ferramenta utilíssima.

Ocorre que um dos pilares da Música é o ritmo. Ele se desenvolve a partir de marcações de tempo, como os toques de um relógio.

Porém o relógio segue sempre o mesmo ritmo de batidas. Já o metrônomo, pode ser configurado para a repetição que melhor nos servir.

Conheçamos, então, as particularidades e, mais tarde, ensino como usar o metrônomo. As vantagens que encontrará serão tantas, que ele se tornará seu melhor amigo.

Vem comigo!

Antes de saber usar o metrônomo: o que é o tempo

Seja na Física ou na Música, tempo diz respeito à sucessão. Uma coisa acontece antes ou depois de outra. Além disso, ela dura um determinado período.

Nossos dias são divididos em horas. Mais especificamente, vinte e quatro delas. Mas cada hora também é dividida em minutos. E eles, em segundos.

Na Música, o tempo não é tão fixo assim. Ele depende de uma série de fatores, como progressão e duração de cada nota.

Expliquei isso com bastante profundidade em duas matérias anteriores. Valerá muito a pena você estuda-las. Especialmente para aprender a usar o metrônomo. São elas:

Como o metrônomo funciona

Sabendo disso, é possível compreender que o metrônomo é um tipo de “relógio musical”. E é você quem define como ele deve andar.

Para isso, no tempo musical, há uma unidade de medida específica. Ela é quem regula o funcionamento do metrônomo e, consequentemente, o andamento de uma música.

Essa medida é chamada BPM. A tradução literal fica: batidas por minuto. E o valor varia constantemente.

Músicas mais lentas, obviamente, possuem uma taxa de BPM menor. Algo em torno de 60 a 120BPM. Todavia, músicas mais ágeis trabalham a mais de 150BPM.

Mas não se preocupe. A percepção de BPM surge com a experiência. Especialmente se está iniciando agora, o metrônomo servirá para aperfeiçoar seus exercícios de cromatismo.

Lembra quais são? Falamos deles, quando conversamos sobre evoluir na troca de acordes. Confira a matéria!

Quem qual momento usar o Metrônomo

Em que, especialmente, usar o metrônomo

Basicamente, você pode usar o metrônomo para tudo, na música. Isso porque, como já disse, o tempo é pilar, nela. Sem tempo, não há ritmo. Sem ritmo, não há ordem.

Assim, seja você iniciante ou expert, poderá usar o metrônomo como ferramenta de auxílio. E isso fará uma diferença gigantesca em seu progresso.

Quem toca em banda, terá um unificador de toques para todos os instrumentos. Porque valer-se apenas da bateria pode ser complicado. Um erro do baixo pode induzir todos ao deslize.

Mas, mesmo quem toca sozinho, pode usar o metrônomo para validar sucesso em solos. Basta regulá-lo adequadamente para o que se pretende.

Nestes casos mais específicos, é necessário conhecer mais a fundo compassos e marcações. Afinal, não necessariamente tocaremos uma nota por batida, não é mesmo?

Todavia, tornando tudo complexo demais, voltemos ao básico. E o uso mais simples e comum do metrônomo se dá para os estudos.

Imagine que acabou de começar a praticar independência dos dedos. Está utilizando escalas, cromatismos e riffs para fortalecer a mão e ter liberdade.

Neste então, você pode marcar o metrônomo para poucas BPM. A cada batida, você toca uma nota nova. Fantástico, não?

Isso irá, imediatamente, começar a ensinar o tempo ao seu cérebro. Você conseguirá, em pouquíssimo tempo, acostumar-se a repetir o movimento na mesma cadência.

Não é preciso comprar para usar o metrônomo

Metrônomo digital

Hoje em dia, o metrônomo físico caiu em desuso. Antigamente, um deles seria a única alternativa para o músico.

Este metrônomo nada mais é do que um mecanismo de pêndulo. Configurava-se a repetição, e as engrenagens o mantinham repetindo tantas batidas por minuto.

No entanto, nos tempos atuais, você sequer precisa gastar dinheiro para usar o metrônomo. Basta fazer o download de uma versão digital no celular ou computador.

Então Bastará se lembrar da explicação dada nas matérias de apoio para colocar os estudos em prática.

Você poderá, então, fazer um exercício prático. Marque, por exemplo, 60BPM em um compasso 4/4 (4, na ferramenta). Agora, busque tocar uma nota a cada batida forte.

Em resumo, você estará tocando quatro notas por compasso: uma forte e três fracas. E este compasso terá uma duração de 60BPM. Interessante, não?

Apenas não deixe de conferir os materiais que apontamos. Eles esclarecerão as dúvidas que ainda ficarem sem que precisemos repetir o que já foi dito lá.

Entretanto você pode apostar: contar com o metrônomo tornará seus estudos muito mais interessantes! Além disso, você crescerá na precisão de suas músicas e solos.

Fique ligado para novidades do nosso site. Ajudar você a evoluir no violão é nosso objetivo primeiro.

Até mais!

You May Also Like

About the Author: Mario Feitosa

Músico e compositor popular, o premiado escritor Mario Feitosa é especialista em tecnologia, poeta e redator. Baixista e violonista com décadas de experiência, seu compromisso é transformar a Música em matéria universal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *