Quanto tempo leva para aprender a tocar violão?

Um fantasma, que pode assombrar muitos iniciantes, é o tentar prever quanto tempo leva para aprender a tocar violão. E é natural e saudável se questionar. Tal preocupação pode auxiliar na motivação.

Acontece que, como tudo na vida, vale mais a determinação do que qualquer outra coisa. E a determinação depende da definição de objetivos claros.

Por isso, vamos conversar um pouco sobre esse tempo médio até aprender a tocar bem. Combinado? Vem comigo, então.

A definição de objetivos ao aprender a tocar violão

Objetivos são o norte que definimos para um esforço. Por exemplo: se quero tirar habilitação, tenho etapas até possuir o documento na carteira.

Preciso, primeiro, entender sobre leis de trânsito. Depois disso, devo conhecer os controles do carro. Depois, entender os botões e alertas. Mais tarde, a manejar os pedais, trocar marchas. E, após cada sucesso, passamos para outro esforço.

Fazemos isso porque já sabemos o que queremos: tirar habilitação. E não basta apenas saber dirigir. É preciso passar nos testes.

Quando se conhece verdadeiramente onde se quer chegar, o como fica mais claro. Sabemos quantos degraus temos que subir até chegarmos aonde pretendemos.

Assim, temos tem grandes grupos, que podemos nomear. São eles o aprender a tocar violão por:

  • um hobby leve;
  • hobby compartilhado;
  • intenções profissionais.

Vamos analisar um a um. Você poderá descobrir em qual se encaixa. Assim, saberá uma média de tempo suficientemente boa, para comparar com seu progresso.

Aprender a tocar violão como um hobby leve

Entenda “hobby leve” como algo casual, não levado tão a sério. Neste grupo, temos aqueles que pretendem espairecer, de vez em quando. São os que tocam violão sem frequência, apenas músicas simples e, basicamente, sempre as mesmas.

Neste caso, como não há aprofundamento ou grandes dificuldades, poucos meses são suficientes. Algo como três meses já tornaria possível decorar e reproduzir três ou quatro acordes. Considere-se uma ou duas horas por semana.

O violão como um hobby compartilhado

Por outro lado, há quem queira aprender a tocar violão para impressionar um crush ou tocar quando estiver com os amigos. Neste caso, uma ou duas músicas não são suficientes. E será preciso, também, aprender a cantar junto, ler cifras etc.

Em casos assim, maior dedicação se faz necessária. Consequentemente, mais tempo e aprofundamento nos estudos de teoria. Seis meses ou mais podem já ser suficientes. Falamos de algo como 4h/semana.

E, aqui, ainda se enquadram os que querem ter uma banda de garagem. Uma que não pretende fazer shows ou ganhar dinheiro.

Nesta situação, é preciso saber tocar junto com outros instrumentos. Portanto, será necessário ter mais intimidade com ritmo. Escalas também entram nos estudos. E harmonia. Pelo menos harmonia simples, para improvisar sem estragar a diversão.

O tempo varia. Contudo algo como um ano, com 6h/semanais já deve bastar.

Aprender a tocar violão com intenções profissionais

Quando falo de intenções profissionais, refiro-me a fazer dinheiro. Dindim. E, neste grupo, estão os que mais precisarão se dedicar e investir tempo no treino e nos estudos.

Pode haver a intenção de tocar numa banda que se apresenta. Quem sabe, tocar voz e violão em algum bar. Apresentar-se na rua. Acompanhar um artista em turnê ou entrar em uma filarmônica…

Há várias situações nas que o violão pode tornar-se fonte de renda. Mesmo dar aulas particulares ou criar um canal no Youtube servem como exemplo.

Em todos os casos — uns mais que outros — o empenho deve ser quase religioso. E treinar, apenas, não é suficiente. É preciso estudar bastante teoria.

Harmonias, escalas, formação de acordes, dissonâncias, compassos. Nos casos mais rentáveis, ler e escrever partitura em tempo real serão completamente necessários.

No mais leve dos exemplos, estamos falando de alguns anos. Dois como o mínimo do mínimo. Isso com um estudo mais pesado, de duas ou mais horas por dia.

O tempo médio na prática

Embora eu tenha dado algumas medidas fixas, não se preocupe. São estimativas com base no que se possa pretender. E são otimistas.

Acontece que há variáveis as quais devem ser consideradas. Elas ajudam ou atrapalhar o processo de aprender a tocar violão.

Como principais, temos:

  • determinação de objetivos: como já falamos sobre, apenas reforço, aqui. Quanto mais claros os objetivos, mais rápido será aprender a tocar violão;
  • tempo dedicado: quando mais tempo investimos, mais rápido produzimos resultados. Afinal, ajudamos a memória muscular e assimilamos teoria;
  • motivação: tão importante quanto os outros, a motivação é o combustível do aprendizado. Quando desanimamos, corremos o risco de desistir.

Lidando com dificuldades específicas

Ninguém é igual a ninguém. Há quem tenha maior facilidade em aprender a tocar violão. Há quem tenha dificuldades específicas. E, claro, os que acham tudo difícil.

Mas sabe qual é o macete? Se encontra mais obstáculos, não pense em deixar para lá. Invista mais tempo. Festeje mais cada conquista. Mesmo as pequenas. São todas conquistas.

Alguma complicação motora, visual ou de audição. Talvez a impossibilidade de comprar um violão canhoto. Quem sabe melhor que você quais percalços está enfrentando, não é?

O importante é saber que, independentemente de qual seja a complicação, há jeito. Jimi Hendrix era canhoto, e desenvolveu todo um esquema para tocar guitarra. Acabou tornando-se um dos maiores guitarristas da história.

E, por falar em superação, conhece o Tony Melendez? Não?! Então, veja só:

Jamais desista, caro aluno. Persevere e confie em você!

Comparando seu progresso com outros amigos ou familiares

Especialmente para quem gosta de competir, comparar o progresso pode ajudar. Isso porque meio que começa uma corrida entre quem evolui mais rápido.

Isso pode estimular a investir mais tempo em treino e estudo. E pode ser bem divertido para todos.

Apenas tenha em mente: se a frustração te deixar para baixo, pare de competir. Siga seu tempo e fique feliz com os resultados: os seus e os de seus amigos.

E nunca, nunca caçoe de quem sabe menos que você. Você pode, com esse comportamento, ferir as esperanças de alguém. Quem sabe, fazer com que a pessoa desista de aprender a tocar violão. Ninguém quer isso.

Assim, você já tem uma ideia básica e um período mínimo. Se conseguir antes do que sugeri, parabéns! Fico realmente feliz.

Se tudo estiver demorando, e os resultados pareçam estar longe, fique calmo. Reserve meia horinha todos os dias para o violão. E não descole dele. Treine mais e com mais afinco.

Só o que queremos é que você alcance seu objetivo de aprender a tocar violão. E não importa a finalidade. O que importa é o seu sentimento de satisfação.

Se está tendo alguma dificuldade, deixe seu comentário. Será um prazer te ajudar. E, caso tenha gostado da matéria, compartilhe com seus amigos, nas redes.

Volte sempre, caro aluno! Matérias fresquinhas esperam sempre por você.

Até mais!

You May Also Like

About the Author: Mario Feitosa

Músico e compositor popular, o premiado escritor Mario Feitosa é especialista em tecnologia, poeta e redator. Baixista e violonista com décadas de experiência, seu compromisso é transformar a Música em matéria universal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *